Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

17 milhões de brasileiros não tomaram a 2ª dose; 46 milhões estão sem reforço - Nova Difusora

Fale conosco via Whatsapp: +11976774820

No comando: Em Pauta

Das 08:00 às 09:00

No comando: Programa Wellignton de Andrade

Das 09:00 às 10:00

No comando: AVENTURAS SERTANEJAS EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 09:00 às 11:00

No comando: Francisco Rossi e você

Das 10:00 às 12:00

No comando: Conexão Regional

Das 11:00 às 12:00

No comando: Sintonizados

Das 12:00 às 14:00

No comando: Roda de Amigos

Das 13:00 às 14:00

No comando: AVENTURAS SERTANEJAS

Das 14:00 às 15:00

No comando: CLÁSSICOS SERTANEJOS EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 14:00 às 16:00

No comando: POSCAST

Das 15:00 às 16:00

No comando: Jornada Esportiva

Das 15:00 às 18:00

No comando: Papo Reto

Das 16:00 às 17:00

No comando: SAMBA DO BOCA

Das 16:00 às 18:00

No comando: Verdades Vivas

Das 17:00 às 18:00

No comando: Nova Esporte

Das 18:00 às 19:00

No comando: Pega Leve EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 18:00 às 22:00

No comando: Pega Leve

Das 20:00 às 22:00

17 milhões de brasileiros não tomaram a 2ª dose; 46 milhões estão sem reforço

Repórter: Milena Abreu

Ao menos 17 milhões de brasileiros que tomaram a primeira dose da vacina contra a covid não voltaram ao posto de saúde para receber a segunda dose.

E dos mais de 165 milhões de habitantes que completaram o ciclo inicial de imunização, tomando as duas doses ou a vacina de dose única, cerca de 46 milhões ainda não tomaram a dose de reforço.

É o que revelam números do Ministério da Saúde.

Em nota, a pasta reforça a importância da população completar o esquema vacinal “para garantir a máxima proteção contra o vírus e conter o avanço de novas variantes”.

E pede que os municípios, que são os responsáveis por aplicar as doses na população, realizem busca pelos que precisam completar o ciclo inicial ou tomar a dose de reforço.

A imunização, vale lembrar, é o jeito comprovadamente eficaz e seguro de se proteger contra a covid-19.

E os números da pandemia deixam isso claro. Em maio, por exemplo, o país registrou um aumento no número de casos confirmados da doença, em razão, segundo especialistas, das medidas de flexibilização das restrições, como o uso de máscaras por exemplo.

As mortes, no entanto, não avançaram no mesmo ritmo. Ao contrário, o Brasil registrou, no último mês de maio, o menor número de mortes por Covid desde o início da pandemia.

Foram pouco menos de 3.200 óbitos pela doença no quinto mês desse ano, contra mais de 80 mil registrados em abril de 2021, o pico da pandemia.

Fonte Agência Rádio 2

 

Deixe seu comentário: