Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Confira os 50 principais vilões da inflação no primeiro semestre - Nova Difusora

Fale conosco via Whatsapp: +11976774820

No comando: Em Pauta

Das 08:00 às 09:00

No comando: Programa Wellignton de Andrade

Das 09:00 às 10:00

No comando: AVENTURAS SERTANEJAS EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 09:00 às 11:00

No comando: Francisco Rossi e você

Das 10:00 às 12:00

No comando: Conexão Regional

Das 11:00 às 12:00

No comando: Sintonizados

Das 12:00 às 14:00

No comando: Roda de Amigos

Das 13:00 às 14:00

No comando: AVENTURAS SERTANEJAS

Das 14:00 às 15:00

No comando: CLÁSSICOS SERTANEJOS EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 14:00 às 16:00

No comando: POSCAST

Das 15:00 às 16:00

No comando: Jornada Esportiva

Das 15:00 às 18:00

No comando: Papo Reto

Das 16:00 às 17:00

No comando: SAMBA DO BOCA

Das 16:00 às 18:00

No comando: Verdades Vivas

Das 17:00 às 18:00

No comando: Nova Esporte

Das 18:00 às 19:00

No comando: Pega Leve EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 18:00 às 22:00

No comando: Pega Leve

Das 20:00 às 22:00

Confira os 50 principais vilões da inflação no primeiro semestre

Alimentos para consumo dentro de casa, frutas, hortaliças, verduras e grãos lideram as altas de preços entre janeiro e junho

A inflação oficial de preços para os consumidores brasileiros fechou o primeiro semestre de 2022 com alta de 5,5%, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (8) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

“Em março e abril, houve o aumento nos preços da gasolina e também dos produtos farmacêuticos. Neste segundo trimestre, observamos a redução do patamar do índice geral, que estava acima de 1% e, em maio, foi para 0,47% e, em junho, para 0,67%”, avalia Pedro Kislanov, gerente responsável pela pesquisa.

O salto foi influenciado, principalmente, pela variação dos preços das frutas, hortaliças, verduras, grãos e alimentos para consumo dentro de casa. Confira abaixo os 50 maiores vilões do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) entre janeiro e junho.

Morango – 106,81%
Melão – 64,6%
Batata-inglesa – 55,77%
Pepino – 55,58%
Abobrinha – 54,41%
Repolho – 51,74%
Cebola – 48,23%
Cenoura – 45,67%
Manga – 43,67%
Leite longa vida – 41,76%
Feijão-carioca (rajado) – 40,97%
Alface – 34,78%
Óleo diesel – 33,39%
Couve – 32,17%
Açaí (emulsão) – 29,81%
Brócolis – 26,61%
Maçã – 25,1%
Farinha de trigo – 24,61%
Gás veicular – 23,9%
Seguro voluntário de veículo – 23,61%
Óleo de soja – 21,71%
Alimento infantil – 21,19%
Cheiro-verde – 20,61%
Flores naturais – 20,08%
Macarrão instantâneo – 19,22%
Maionese – 19,18%
Agasalho feminino – 18,14%
Agasalho infantil – 17,66%
Banana-da-terra – 16,67%
Pão de forma – 16,52%
Agasalho masculino – 15,75%
Sabonete – 15,54%
Café moído – 14,87%
Outras bebidas alcoólicas – 14,86%
Peixe: tainha – 14,71%
Calça comprida infantil – 14,44%
Macarrão – 14,29%
Couve-flor – 14,06%
Móvel para copa e cozinha – 13,76%
Pão francês – 13,56%
Bolo – 13,49%
Gastroprotetor – 13,42%
Sabão em pó – 13,41%
Oftalmológico – 13,39%
Colorau – 13,16%
Vestido – 13,1%
Chocolate e achocolatado em pó – 13,03%
Biscoito – 12,96%
Artigos de maquiagem – 12,94%
Calça comprida feminina – 12,89%

Fonte R7 Notícias

Deixe seu comentário: