Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Emidio quer barrar homenagem a jogador conhecido por falas homofóbicas - Nova Difusora

Fale conosco via Whatsapp: +11976774820

No comando: Café News

Das 07:00 às 08:00

No comando: Em Pauta

Das 08:00 às 09:00

No comando: Programa Wellignton de Andrade

Das 09:00 às 10:00

No comando: AVENTURAS SERTANEJAS EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 09:00 às 11:00

No comando: Francisco Rossi e você

Das 10:00 às 12:00

No comando: Conexão Regional

Das 11:00 às 12:00

No comando: Sintonizados

Das 12:00 às 14:00

No comando: Roda de Amigos

Das 13:00 às 14:00

No comando: AVENTURAS SERTANEJAS

Das 14:00 às 15:00

No comando: CLÁSSICOS SERTANEJOS EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 14:00 às 16:00

No comando: POSCAST

Das 15:00 às 16:00

No comando: Jornada Esportiva

Das 15:00 às 18:00

No comando: Papo Reto

Das 16:00 às 17:00

No comando: SAMBA DO BOCA

Das 16:00 às 18:00

No comando: Verdades Vivas

Das 17:00 às 18:00

No comando: Nova Esporte

Das 18:00 às 19:00

No comando: Pega Leve EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 18:00 às 22:00

No comando: Pega Leve

Das 20:00 às 22:00

Emidio quer barrar homenagem a jogador conhecido por falas homofóbicas

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de São Paulo, deputado Emidio de Souza (PT), enviou ofício pedindo para a presidência da Casa barrar a homenagem que ex-jogador de vôlei Mauricio Souza deve receber do Legislativo paulista na próxima semana.

Demitido do Minas Tênis Clube no ano passado por comentários homofóbicos nas redes sociais, Maurício foi indicado para receber o Colar de Honra ao Mérito Legislativo do Estado de São Paulo, maior honraria da Alesp, por indicação da deputada bolsonarista Leticia Aguiar. “Homenagear atleta homofóbico apequena a imagem da Alesp”, afirma o deputado.

Para Emidio, os deputados deveriam homenagear quem está ajudando as pessoas a superar a crise econômica vivida no país. “Lamentável que deputados bolsonaristas em vez de homenagear pessoas que têm se destacado ajudando as pessoas a ter comida na mesa, se preocupam em homenagear quem destila ódio e preconceito”, diz Emidio.

No documento enviado à presidência da Alesp, o presidente da Comissão de Direitos Humanos diz que a proposta da deputada bolsonarista que em nada contribui para a Honra do Mérito Legislativo.

“É lamentável a tentativa de distinção a um indivíduo que ganhou destaque em razão de seu discurso divisivo de ódio e intolerância contra uma minoria. Diferentes estatísticas apontam o Brasil como um dos países com maior incidência de violência contra a comunidade LGBTQIA+. A democracia requer o convívio respeitoso entre os diferentes e nossa Constituição assegura direitos iguais a todas às pessoas”, justifica.

fonte webdiario.com.br

Deixe seu comentário: