Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Quatro em cada dez trabalhadores brasileiros ganham até um salário mínimo - Nova Difusora

Fale conosco via Whatsapp: +11976774820

No comando: Em Pauta

Das 08:00 às 09:00

No comando: Programa Wellignton de Andrade

Das 09:00 às 10:00

No comando: AVENTURAS SERTANEJAS EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 09:00 às 11:00

No comando: Francisco Rossi e você

Das 10:00 às 12:00

No comando: Conexão Regional

Das 11:00 às 12:00

No comando: Sintonizados

Das 12:00 às 14:00

No comando: Roda de Amigos

Das 13:00 às 14:00

No comando: AVENTURAS SERTANEJAS

Das 14:00 às 15:00

No comando: CLÁSSICOS SERTANEJOS EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 14:00 às 16:00

No comando: POSCAST

Das 15:00 às 16:00

No comando: Jornada Esportiva

Das 15:00 às 18:00

No comando: Papo Reto

Das 16:00 às 17:00

No comando: SAMBA DO BOCA

Das 16:00 às 18:00

No comando: Verdades Vivas

Das 17:00 às 18:00

No comando: Nova Esporte

Das 18:00 às 19:00

No comando: Pega Leve EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 18:00 às 22:00

No comando: Pega Leve

Das 20:00 às 22:00

Quatro em cada dez trabalhadores brasileiros ganham até um salário mínimo

Repórter: Milena Abreu

Quatro em cada 10 trabalhadores com ou sem carteira assinada ganham até um salário mínimo – ou R$ 1.212 para arcar com todas as despesas do mês.

É o que aponta levantamento realizado por uma consultoria para o jornal O Globo.

O total de profissionais que ganham até o piso nacional era de 28% dos trabalhadores nos últimos três meses de 2015; saltou para 30%, três anos depois, ao fim de 2018 e, no primeiro trimestre desse ano, chegou a 38% do total da força ocupada.

Em números absolutos, são mais de 36 milhões e 400 mil pessoas atualmente nessa situação, 8 milhões e 300 mil a mais do que nos últimos meses de 2018.

Além do ganhos baixos, o que evidencia a falta de valorização profissional, essa realidade preocupa ainda mais em um cenário de alta da inflação, como observa a senadora e pré-candidata à Presidência da República pelo MDB, Simone Tebet.

SONORA

Cálculos feitos pelo Procon de São Paulo mostram que apenas a alta dos alimentos já anulou o reajuste do salário mínimo.

Considerando os preços praticados na capital paulista, cidade com uma das cestas básicas mais caras do país, o trabalhador que ganha um salário mínimo gasta praticamente todo o dinheiro do mês comprando os 39 produtos da cesta monitorada pelo órgão de defesa do consumidor – produtos que são considerados de primeiríssima necessidade.

Em dezembro do ano passado, a cesta monitoda custava R$ 1.088 e o salário mínimo era de R$ 1.100. Sobravam R$ 12.

Em abril, a cesta subiu para R$ 1.209,71. O que significa que sobram menos de R$ 2,50 do salário de R$ 1.212.

Fonte Agencia Rádio 2

Deixe seu comentário: