Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Volume de serviços prestados no Brasil cresce 0,9% em maio - Nova Difusora

Fale conosco via Whatsapp: +11976774820

No comando: Em Pauta

Das 08:00 às 09:00

No comando: Programa Wellignton de Andrade

Das 09:00 às 10:00

No comando: AVENTURAS SERTANEJAS EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 09:00 às 11:00

No comando: Francisco Rossi e você

Das 10:00 às 12:00

No comando: Conexão Regional

Das 11:00 às 12:00

No comando: Sintonizados

Das 12:00 às 14:00

No comando: Roda de Amigos

Das 13:00 às 14:00

No comando: AVENTURAS SERTANEJAS

Das 14:00 às 15:00

No comando: CLÁSSICOS SERTANEJOS EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 14:00 às 16:00

No comando: POSCAST

Das 15:00 às 16:00

No comando: Jornada Esportiva

Das 15:00 às 18:00

No comando: Papo Reto

Das 16:00 às 17:00

No comando: SAMBA DO BOCA

Das 16:00 às 18:00

No comando: Verdades Vivas

Das 17:00 às 18:00

No comando: Nova Esporte

Das 18:00 às 19:00

No comando: Pega Leve EDIÇÃO DE SÁBADO

Das 18:00 às 22:00

No comando: Pega Leve

Das 20:00 às 22:00

Volume de serviços prestados no Brasil cresce 0,9% em maio

Manutenção da trajetória positiva põe o setor responsável por 70% do PIB em um nível 8,4% acima do período pré-pandemia

volume de serviços prestados no Brasil manteve a trajetória positiva dos últimos meses e avançou 0,9% em maio, na comparação com abril, mostram dados divulgados nesta terça-feira (12) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Com a terceira alta mensal consecutiva, o setor responsável por 70% do PIB (Produto Interno Bruto) — soma de todos bens e serviços produzidos no país — fica 8,4% acima do patamar pré-pandemia, mas ainda aparece 2,8% abaixo do ponto mais alto da série histórica, alcançado em novembro de 2014.

No mês, todas as cinco atividades investigadas pela pesquisa acompanharam o resultado positivo. Para Rodrigo Lobo, gerente responsável pela PMS (Pesquisa Mensal de Serviços), o crescimento disseminado pelas atividades se tornou mais frequente pelos efeitos da pandemia.

“Antes de 2020, era bem mais raro ver as atividades crescendo de forma simultânea. Isso tem relação com a base de comparação baixa por causa dos efeitos das medidas de isolamento social, especialmente nos serviços de caráter presencial. De lá para cá, com a redução das restrições, essas atividades seguem em ritmo mais acelerado”, analisa ele.

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o segmento de serviços avançou 9,2%, a 15ª taxa positiva consecutiva nessa base de comparação. Lobo explica que os resultados robustos apresentados pelos serviços de caráter presencial ainda são reflexo do processo de flexibilização das medidas restritivas e do avanço da vacinação, que vêm impulsionando a retomada do setor.

Fonte: Notícias R7

Deixe seu comentário: